A importância da boa formação sacerdotal

Vendo os chamados vocacionais de Deus na História e no Tempo, podemos nos perguntar, como anda a formação dos padres hoje? Está suprindo as necessidades dos fiéis?

 Jeremias, ao ouvir o “vocare” de Iahweh seu Deus, não se achou preparado para tal missão, mas Iahweh o instiga a uma aceitação, assegurando que Ele falará através dele (Jr 1,6-9). Noutra parte da história bíblica, Isaías, um dos profetas antigos, manifesta a certeza da presente instrução dada pela ação inspiradora de Iahweh, “O espírito do Senhor está sobre mim, porque Iahweh me ungiu: enviou-me a anunciar a boa nova aos pobres, a curar os quebrantados de coração e proclamar a liberdade aos cativos” (Is 61, 1), vendo isto percebemos como Deus age nos seus enviados.

 No Novo Testamento nós podemos nos perguntar como Jesus fazia para preparar os seus discípulos para a missão? A resposta é objetiva, pelo próprio testemunho de sua vida. Ele os chama ao seguimento “Vinde e vede” (Jo 1,39). Os apóstolos, atentos a tudo o que Ele realizava, são instruídos a fazer o mesmo, proclamar a verdade, a libertação, anunciando o caminho e a vida em Jesus Cristo.

 Hoje a Igreja, por meio de seus seminários e casas de formação, busca preparar os seus futuros sacerdotes para dar continuidade à missão de Cristo. No decreto Optatam Totius, do Concílio Vaticano II, número 18, recomenda principalmente aos senhores bispos a instruir bem os seus jovens por meio de seus professores, padres, formadores, “para que se formem sacerdotes preparados […] de maneira que possam depois satisfazer às várias necessidades do apostolado”.

 A exortação apostólica Pastores Dabo Vobes, do Beato João Paulo II, mostra a importante missão dos bispos, os quais possuem a principal “responsabilidade na formação daqueles que serão encarregados da educação dos futuros presbíteros” (pag.171). Formação esta que deverá responder às inquietações, os anseios, as dúvidas dos seus fiéis os quais estão cansados de reflexões secas e celebrações que não expressão o mistério pascal.

 A boa instrução deve ser a base essencial para todos aqueles que estão no processo do estudo ministerial, para que possam responder, ou melhor, corresponder aos ecos indagadores da sociedade. Tem que se “investir” de uma melhor forma, para que os formandos sejam hoje e futuramente, conselheiros, profetas, bons pastores a exemplo do Bom Pastor, que nos inspira na missão de promover a anúncio salvífico e redentor.

 Que assim, o Senhor Jesus, pela intercessão de sua Excelsa Mãe a Virgem Da Guia possa nos apontar o caminho a ser percorrido com a ajuda da razão e das ciências teológicas rumo ao ministério presbiteral, e por fim, ao Reino de Deus.

 

Edvan Cabral de Lima (cabralteo@hotmail.com)

Seminarista da Diocese de Patos

Paróquia do Sagrado Coração de Jesus

1º ano de Teologia no Seminário Arquidiocesano da Paraíba.

6 comentários para “A importância da boa formação sacerdotal”

  1. LUCIVALDO CANUTO SILVA disse:

    Olá Edvan Cabral!

    Boa reflexão essa. Certamente, ficamos encantados com os suntuosos documentos acerca da formação em nossas “Casas de Formação, Seminários… Existe de fato, uma acervo de recomendações acerca do nosso processo formativo rumo ao ministério ordenado.
    Oxalá! que esses documentos da Santa Igreja sejam lidos e acolhidos por todos nos governam em nossas instâncias eclesiais.
    Um mega abraço meu irmão. Parabéns pela colaboração ao refletir esse valioso tema. Estamos em koinonia.

    • Edvan disse:

      Obrigado caríssimo irmão Lucivaldo Canuto, espero que tenho lhe feito pensar um pouco mais sobre as estruturas formativas da igreja de hoje.Parafraseando uma frase sua, “Oxalá! que esses documentos da Santa Igreja sejam lidos e acolhidos por todos que nos governam em nossas instâncias eclesiais”, rezo para que possamos cultivar em nossas vidas, um sacerdócio santo e capaz de se abrir as novidades que a própria Igreja oferece por meio de seus próprios documentos (que não são tão novos assim). Mais uma vez obrigado.

  2. Edvan disse:

    Quero agradecer a comissão por esta oportunidade de poder colaborar um pouco para a reflexão sobre a vida dos ministras ordenados. E peço a todos os leitores que rezem pelas santas vocações em nossa Igreja.

    • Enetônio Linhares disse:

      muito obrigado meu irmão pelo seu artigo que dar ênfases ao chamado que nos faz o Senhor. É tempo de responder e cada dia mais, estando atento aos detalhes de Deus em nossa história, nas coisas mais simples, que podem esconder uma grande manifestação de esse amor que nos quer com Ele. Aqui da Colômbia me uno a todos vocês que fazem parte desta história de amor que é nossa vocação.
      Que Deus o abençoe.

      • LUCIVALDO CANUTO SILVA disse:

        Olá Enetonio Linhares!

        Fiquei muito feliz ao ler sua postagem sobre esse artigo. Espero que estejas feliz aí na Colômbia. Faz algum tempo que fui a Comunidade Servos de Maria. Creio que em julho de 2011 e falei sobre você com Pe. Si. Meu e-mail: lucivaldocanuto@hotmail.com. Desejo manter contato. Um fraterno abraço! Deus o abençoe! Saudades.

      • Edvan disse:

        Olá meu irmão Enetônio, obrigado pela plausabilidade ao meu texto, espero que tenho contribuído para algo. Espero que estejas bem na caminhada vocacional, lhe desejo um bom percurso formativo e que a Virgem Da Guia possa te auxiliar em suas necessidades, um forte abraço e que Deus te abençoe.