As lições de humildade ensinadas por Papa Francisco aqui no Brasil

Tenho observado nestes dias da visita do Santo Padre, o Papa Francisco,  as lições de humildade que ele tem particularmente me ensinado, não só em palavras mas na singeleza de seus gestos.

Recordo aqui o sua primeira fala a nós cristãos e povo Brasileiro: “Aprendi que para ter acesso ao Povo Brasileiro, é preciso ingressar pelo portal do seu imenso coração; por isso permitam-me que nesta hora eu possa bater delicadamente a esta porta.

Peço licença para entrar e transcorrer esta semana com vocês. Não tenho ouro nem prata, mas trago o que de mais precioso me foi dado: Jesus Cristo! Venho em seu Nome, para alimentar a chama de amor fraterno que arde em cada coração; e desejo que chegue a todos e a cada um a minha saudação: “A paz de Cristo esteja com vocês!”

Que palavras carregadas de sentido profundo, a marca da humildade presente em seu discurso.

A humildade é preciosa aos olhos de Deus e revela  que quem a possuir será mais abençoado e agraciado com seus cuidados; ela conserva a alma na tranquilidade  e  contentamento, mesmo em meio às  lutas diárias e gera a paciência e resignação nos momentos mais difíceis possíveis.

O rosto sereno do Papa Francisco, o seu sorriso, encanta a todos e nos passa uma paz interior profunda.

Assistindo o seu primeiro pronunciamento me chamou atenção também o que ele falou aos pais de família:” Os pais usam dizer por aqui: “os filhos são a menina dos nossos olhos”. Que bela expressão da sabedoria brasileira que aplica aos jovens a imagem da pupila dos olhos, janela pela qual entra a luz regalando-nos o milagre da visão! O que vai ser de nós, se não tomarmos conta dos nossos olhos? Como haveremos de seguir em frente? O meu auspício é que, nesta semana, cada um de nós se deixe interpelar por esta desafiadora pergunta.

Participando mesmo que de longe da JMJ me contagio com os gestos, depoimentos e alegria de cada jovem que está participando.

Espero que o testemunho do Papa Francisco contagie a todos nós e plasme os sentimentos  profundos de modéstia no coração de cada jovem, cada mulher e  cada homem  que procura santificar-se, na realidade, pois sem esta evidência do caráter de Cristo, é impossível servir integralmente ao Eterno.

Para desempenharmos o serviço do Senhor é imperativo que haja  o sentimento de humildade  no coração, pois ela é a característica dos servos.

A humildade é uma virtude característica da fé cristã, tanto que perguntaram a Jerônimo qual seria a primeira virtude cristã, e ele respondeu: humildade. E a segunda?, insistiram, e ele repetiu: humildade. E a terceira? – Humildade. Nietzche achava que a humildade era uma fraqueza indigna do super-homem. Mas,  por que a afirmação “Deus é humilde” é revolucionária?  – Porque nos obriga a mudar nossos conceitos sobre Deus, herdados do Antigo Testamento e, consequentemente, reavaliar nossas vidas. Nós cantamos exaltando a magnitude de Deus: “Grandioso és Tu”, “Tu és tremendo”. E isso nos faz sentir pequenininhos e insignificantes. Agora temos de cantar: Deus é humilde, e isso nos faz sentir importantes e fundamentais.

Que estes dias de graças e bênçãos vividos aqui no Brasil com a Jornada Mundial da Juventude e a visita do Santo Padre o Papa Francisco nos ajude a compreender que ser humilde não é ser menos que alguém é saber que não somos mais que ninguém.

 –

Maria Joseny (Josa) – Pascom Diocesana

Comentários fechados.