Gratidão pelo trabalho das Religiosas e Religiosos em nossa Diocese.

No dia 18 de agosto, a Igreja Católica celebra a festa da Assunção de Nossa Senhora. É a festa através da qual a Igreja professa que Maria, a mãe de Jesus, foi elevada “em corpo e alma à glória celeste”. Esta distinção se deve ao fato de Maria haver gasto sua vida terrena em favor de Jesus, merecendo, por isso, também participar da glória da sua Ressurreição.

Nos passos de Maria, desde o princípio da Igreja, há homens e mulheres que “gastam” sua vida no seguimento a Jesus. Fazem isso com o propósito de colaborar intensamente na missão evangelizadora do filho de Maria. São aquelas pessoas que consagram sua vida a Deus através dos votos da pobreza, castidade e obediência. Aquelas pessoas que, a exemplo de Maria, se esquecem de si para servir a Jesus Cristo, e que são conhecidas entre nós, como “irmãos” e “irmãs”. Oficialmente são aquelas pessoas que seguem a “vocação religiosa”.

A  Diocese de Patos deve muito ao trabalho dos religiosos e das religiosas, lembramos aqui o trabalho em pró da educação  realizado pelas Filhas do Amor Divino e Irmãs Josefinas e o trabalho  na saúde  realizado pelas irmãs Missionárias Carmelitas  no Hospital Regional de Patos, bem como o trabalho  que essas Congregações realizam  por meio da inserção na Vida das paróquias e  Comunidades de nossa diocese. Lembramos ainda o trabalho que os frades carmelitas desenvolvem na Região da Serra de Princesa.

Mais do que ações, a vida religiosa se caracteriza pelo “testemunho da absoluta primazia de Deus e de seu Reino”. Ela “se converte em testemunha do Deus da vida em uma realidade que relativiza seu valor (obediência), é testemunha de liberdade frente ao mercado e às riquezas que valorizam as pessoas pelo ter (pobreza), e é testemunha de uma entrega no amor radical e livre a Deus e à humanidade frente à erotização e banalização das relações (castidade)”, (Conferência de Aparecida, n° 219).

Que Nossa Senhora abençõe a Vida e o trabalho das Religiosas e Religiosos em nossa Diocese.

Texto: Maria Joseny ( Josa) – Pascom Diocesana

Comentários fechados.