O Planejamento na catequese

Uma das grandes preocupações dos catequistas é realizar o seu trabalho com êxito a partir dos encontros com os catequizandos.

Mesmo não estando mas no setor de Catequese em âmbito Diocesano, relato aqui uma das experiências que vivi neste trabalho. É também uma contribuição enquanto pedagoga que quer ver  este processo acontecer unido Fé e ciências humanas.

Cada encontro catequético precisa ser preparado cuidadosamente para que possa ser desenvolvido de modo eficaz. O catequista preciso interiorizar o conteúdo através da sua espiritualidade e de um bom planejamento!Em um dos encontros que participei como assessora numa das paróquias de nossa Diocese, uma catequista me perguntou:

– “O que devo fazer para realizar um bom encontro de catequese”?

 A partir da minha ótica pedagógica respondi, que o catequista tem um papel fundamental: o de coordenar o processo de Educação da Fé dos seus catequizandos; ele é o facilitador desse processo. Para isso ele precisa organizar todas as suas ações em torno da realidade dos catequizandos, ou seja, promover o crescimento de todos em relação à compreensão do mundo e sua participação na família, na Igreja e na sociedade.

Para a concretização dessa ação o catequista precisa planejar a fim de construir uma nova proposta catequética que corresponda aos anseios dos seus catequizandos. É preciso ampliar a visão. Acredito que alguns teóricos da Educação podem contribuir com esse novo olhar a partir dos seus conceitos.

Mário Quintana diz com muita sabedoria que “O que mata um jardim não é o abandono. O que mata um jardim é o olhar vazio de quem por ele passa indiferente”.

Como educadores (as) da fé que somos, não podemos ser indiferentes as novas propostas pedagógicas que surgem no intuito de contribuir com um processo educativo que torna o catequizando sujeito da ação pedagógica, dentre elas o planejamento.

“O significado do termo “planejamento” é muito ambíguo, mas no seu uso trivial ele compreende a idéia de que sem um mínimo de conhecimento das condições existentes numa determinada situação e sem um esforço de previsão das alterações possíveis dessa situação, nenhuma ação de mudança será eficaz e eficiente, ainda que haja clareza a respeito dos objetivos dessa ação”. (Azanha, 1993: 70-78).

O planejamento é uma atividade essencial e exclusivamente humana. Pensar antes de agir. Organizador a ação. Adequar meios a fins e valores. Estas expressões sintetizam o conceito de planejamento, considerando-o uma ferramenta para ação. É um processo que se preocupa com “para onde ir” e “quais as maneiras adequadas de chegar lá”.  Para compreender bem tudo o que nós refletimos vou contar para vocês uma estorinha?

Era uma vez, quatro pessoas simpáticas que se chamavam: TODO MUNDO, ALGUÉM, NINGUÉM e QUALQUERUM ,. Havia um trabalho que todo mundo achava que qualquer um ia dar conta do serviço.Depois, Alguém reclamou porque Ninguém fez o que qualquer um poderia ter feito. Todo mundo culpou Alguém e a equipe ficou desanimada. Descobriram então que da próxima vez era melhor Alguém para cada tarefa porque Todo mundo percebeu que Ninguém acabava fazendo o trabalho que ficava para Qualquer um.

Com esta estorinha compreendemos que o Planejamento é um processo que faz crescer, por isso se faz necessário: Organização, objetividade e socialização das tarefas para execução do Planejamento.

Como fazer um bom planejamento para organização do trabalho catequético?

Esta é uma pergunta chave que todo bom catequista deve fazer no intuito de organizar melhor o seu trabalho. Tenho orientado os catequistas no sentido de que o Planejamento deve ser prazeroso, onde eles socializam juntos o saber, as experiências e a criatividade, tendo como alvo principal a realidade dos catequizandos. É um momento de reflexão para uma ação eficiente, onde o conteúdo é assimilado de forma tranqüila e adequada ao meio em que vivem os catequizandos e catequistas.

Algumas pistas são necessárias para a elaboração do Planejamento, pois uma das tarefas mais importantes para garantir o sucesso de qualquer iniciativa é planejar. Na catequese, não é diferente. O único jeito de garantir que todos os catequizandos aprendam é preparar corretamente o terreno (saber onde se quer chegar, definir prioridades, organizar os espaços físicos e a infra-estrutura necessária para alcançar os objetivos.

Afinal “ser catequista é ser jardineiro de gente” (Me. Maria Helena Cavalcanti).

“Jesus Cristo, cuidou atentamente da formação dos discípulos que enviou em missão (D.G.C 137).”

“Na escola de Jesus Mestre, o catequista une estreitamente a sua ação de pessoa responsável, com a ação misteriosa da graça de Deus. A catequese é, por isso, exercício de uma pedagogia original da fé”. (D.G.C 138).”

É importante primar pela objetividade através de planejamentos bem feitos e encontros produtivos.

É trabalho de todos e de cada um a cooperação, diálogo, reflexão e uso racional de tempo, são algumas das pistas para organizar um bom planejamento catequético.

Maria Joseny ( Josa) – PASCOM Diocesana

Comentários fechados.